por Pr. Carlos Mendes

Um dos pecados com os quais mais preciso lidar no aconselhamento é a manipulação. Grande parte das pessoas que me procuram para aconselhamento ou são manipuladoras ou tem que lidar com a manipulação de outras pessoas, são esposas tentando manipular seus maridos, maridos tentando manipular suas esposa, pais que se sentem manipulados por seus filhos, colegas de trabalho, amigos, enfim, a lista é extensa, e consequentemente vários dos meus aconselhados tentam me manipular.

Manipular é tentar controlar. O manipulador tenta influenciar uma pessoa, ele quer ganhar o controle do indivíduo, ou da situação, e para isso ele tenta provocar uma reação emocional na outra pessoa. Manipuladores avaliam as pessoas por sua funcionalidade. Avaliam as pessoas em termos do que elas podem lhes dar.  Manipuladores exigem pagamento pelo que fizeram em prol do outro.  Tratam pessoas como objetos e não como seres humanos criados à imagem de Deus.

Para entendermos como funciona a cabeça de um manipulador é necessário entender que ele vê as pessoas como objetos, como um obstáculo ou uma porta aberta para que realizem seus desejos.  Os manipuladores tratam as pessoas como algo que pode ou não ser único (afinal objetos são feitos em série), que não faz escolhas, que pertence a alguém e tem ou não valor. No dia a dia valorizam aquelas pessoas que lhe são úteis. Assim como os objetos as pessoas são, para eles, manipuladas, pois elas existem para o seu uso. Então, em suas mentes tudo se trata de usar de forma sábia ou não aquela pessoa. E ai esta a grande questão, porque quando tratamos pessoas como se elas fossem objetos, nós violamos a lei do amor, degradamos a imagem de Deus e destruímos o relacionamento.

Para tratarmos as pessoas em honra, como pessoas e não como objetos,  devemos levar em consideração algumas questões:

  1. Pessoas pertencem a Deus e não a nós.
  2. Devemos estar dispostos a ajudar essas pessoas a crescerem.
  3. Devemos estar dispostos a aprender com as pessoas.
  4. Pessoas tem identidade e propósitos únicos.
  5. Pessoas são responsáveis por suas escolhas.
  6. Pessoas tem valor.

Feitos à imagem de Deus, todos os seres humanos pertencem a Ele. Deus tem a palavra final a respeito do que cada pessoa é, para quais propósitos ela serve, quais escolhas ela faz, e o quanto ela é valiosa. As pessoas carregam a imagem de Deus e, portanto, merecem ser honradas pois existem para a glória e propósitos de Deus. Honrá-las não significa que aprovamos e gostamos de tudo o que fazem. Isso significa que nós as vemos e as tratamos como pertencentes a Deus e não a nós.

Como as pessoas manipulam:

1 – Punindo: manipuladores punem pessoas quando elas falham. E isso acontece porque eles focam apenas no querem e necessitam. Eles veem as pessoas como alguém que podem fazer algo por eles. Não há preocupação com o outro, apenas consigo mesmo. Então, quando a pessoa não esta disponível para eles. Eles a punem.

2 – Agradando: Essa é a forma mais inteligente e atrativa de manipulação, ou seja, quando oferecemos recompensa ao invés de punição.  Enquanto os manipuladores punitivos são iracundo, os manipuladores agradadores são educados e gentis, que querem que todos se sintam maravilhados em estar por perto deles.

Para que os nossos relacionamentos cresçam em amor, eles precisar ser fundamentado em honrar o nosso próximo como alguém de valor independentemente de obtermos dele o que queremos. Se nós mostrarmos consideração por ele apenas para obtermos o que queremos, mesmo que as coisas que desejamos sejam coisas boas, nós nos tornamos manipuladores que sugam amor do outro.

Continua…

_________________

Screen Shot 2014-03-12 at 1.53.54 AMPr. Carlos Mendes é casado com Roberta Mendes, pai do Samuel e pastor na Igreja Presbiteriana Aliança, mestre em Aconselhamento Bíblico pelo Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper e professor do Seminário Presbiteriano na área de Aconselhamento Bíblico.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2014 DM Monteiro | www.dmmonteiro.com.
Top
Redes Sociais: